O presidente Jair Bolsonaro afirmou durante transmissão ao vivo na quinta-feira, 5, que, pela quantidade de tilápia que é produzida no Brasil por ano, não se justifica falar em passar fome no país. Há dois meses atrás, no entanto, pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que o Brasil voltou para o Mapa da Fome, a lista de países com mais de 5% da população ingerindo menos calorias do que o recomendável, em 2018. O país voltou a atingir a marca de 5% da população em situação de insegurança alimentar grave. Ao comentar sobre sua viagem nesta sexta-feira, 6, para a inauguração de uma PCH (Pequena Central Hidrelétrica) em Renascença, Paraná, o presidente brincou sobre a produção do peixe.

Bolsonaro perguntou a Jorge Seif, Secretário de Aquicultura e Pesca, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, quantas toneladas de tilápia o Brasil poderia produzir por ano. “Umas 10, mais ou menos”, respondeu Seif. O presidente corrigiu: “é de 10 a 15 toneladas, segundo a Embrapa”. Em tom de brincadeira, o chefe do Executivo seguiu. “E se você compartilhar em tanques?”. O secretário respondeu que, nesse caso, poderiam ser produzidas 100 toneladas do peixe. Então, Bolsonaro afirmou que “não se justifica, em um país como esse, falar em passar fome”. “Não justifica”, enfatizou. “Essas PCHs eram complicadíssimas a suas licenças. Conversamos com o almirante Bento [Albuquerque], ministro de Minas e Energia, já desburocratizou bastante, vai desburocratizar mais ainda”, prometeu Bolsonaro. “De vez em quando pega a questão do meio ambiente, mas o Ministério do Meio Ambiente, com o nosso Ricardo Salles, tá funcionando muito bem”, defendeu. Ricardo Salles, porém, está sendo pressionado pelas altas taxas de desmatamento na Amazônia e o aumento no número de queimadas no Pantanal.

“A PCH, além de gerar, obviamente, energia elétrica, ainda pode criar peixe. Você pode supor que seriam 12 toneladas… 1.000 kg por mês. Pô, 1.000 kg por mês, eu não sei quantas pessoas pode alimentar. Mas supondo que você coma aí 5 kg… 5 kg por mês é muito? Seja 1kg por mês, dá para mil pessoas”, comemorou. De acordo com o IBGE,  mais de um terço da população – 84,9 milhões – morava em casas com algum grau de insegurança alimentar em 2018. Eram 10,3 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar grave.