O consórcio liderado pela Conasa Infraestrutura venceu nesta sexta-feira, 6, o leilão da parceria público-privada de Belém do Pará, para prestar serviços de iluminação pública. O grupo propôs uma contraprestação mensal de um milhão cento e trinta e quatro mil reais. O deságio foi de sessenta e cinco vírgula cinquenta e um por cento sobre o valor máximo previsto no edital. Com isso, o consórcio desbancou outros sete participantes no leilão realizado na Bolsa de Valores, em São Paulo. A PPP de Belém do Pará prevê a modernização e manutenção de mais de noventa mil pontos de iluminação pública, com uso de lâmpadas de LED e telegestão.

A modernização deve acontecer em vinte e quatro meses. Até o final dos treze anos de contrato, o parque de iluminação deve alcançar cento e um mil pontos. Além disso, cerca de quarenta pontos turísticos e históricos vão receber projetos de iluminação especial. A líder do projeto e presidente da comissão de licitação de Belém do Pará, Monique Soares Leite, falou sobre a importância da PPP para o desenvolvimento da cidade. “Belém almeja expandir com a efetiva experiência a implementação de um modelo de prestação de serviços públicos voltado ao conceito de cidade inteligente, calcado na qualidade e eficiência em melhor atendimento ao munícipe, trazendo a experiência concreta de identificação e pertencimento ao espaço urbano”, afirmou.

Ainda nesta sexta-feira, foi realizada licitação da PPP de iluminação pública em em Sapucaia do Sul, no Rio Grande do Sul. O vencedor foi o consórcio formado por Tecnoluz Eletricidade e Brasiluz Eletrificação e Eletrônica. O grupo bateu outros sete concorrentes ao oferecer uma contraprestação mensal de R$ 213 mil. O deságio foi de cinquenta e um vírgula zero sete por cento sobre o valor máximo previsto no edital. O secretário Tiago Pontes, do Ministério do Desenvolvimento Regional, mencionou a o número de pessoas que serão impactadas por ambos os leilões. “E atendendo a uma população de em torno de 1,5 milhão de pessoas em Belém do Pará, mais de 140 mil pessoas em Sapucaia do Sul. Isso aqui demonstrou de certa forma a possibilidade de, sejam em cidades médias, sejam em grandes cidades,que o sucesso das parcerias e privatizações em iluminação pública já é um sucesso constante”, disse.

A PPP de Sapucaia do Sul prevê a modernização de onze mil pontos de iluminação em dezoito meses. Além disso, está prevista a implantação de mais dois mil pontos até o fim do contrato. Tanto o projeto de Belém do Pará quanto o de Sapucaia do Sul foram estruturados pela Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Caixa e Ministério do Desenvolvimento Regional. As propostas fazem parte de um grupo de iniciativas apoiadas pelo Banco Mundial por meio do International Finance Corporation.

*Com informações da repórter Nicole Fusco