O democrata Joe Biden fez na noite deste sábado, 7, o seu primeiro pronunciamento como presidente eleito dos Estados Unidos. Biden começou seu discurso defendendo a lisura do processo eleitoral. O resultado da eleição foi contestado diversas vezes pelo presidente Donald Trump, que foi derrotado pelo democrata. “Eles nós deram uma vitória clara, uma vitoria convincente”, afirmou Biden. “O povo dessa nação falou. Eles nos deram uma vitória para o povo, para aquele que recebeu a maior quantidade de votos de todos os tempos”. Biden foi apontado o vencedor após vencer no Estado da Pensilvânia e somar 273 delegados eleitorais, superando o mínimo de 270 representantes necessários para levar o Colégio Eleitoral. Trump questionou a lisura do processo desde que as primeiras prévias apontaram para a liderança de Biden na disputa, apesar de não apresentar provas das acusações. A contagem dos votos continua nos Estados da Carolina do Norte, Geórgia, Nevada e Arizona. Dos quatro, Trump mantém vantagem apenas na Carolina do Norte.

O discurso realizado em Wilmington, no estado do Delaware, domicílio eleitoral de Joe Biden, foi pautado pela união. Biden prometeu ser o presidente que vai unir, não separar os Estados Unidos. “Tentarei ser um presidente que vai tentar unir, e não dividir, que não vai olhar os estados como ‘democratas’ e ‘republicanos’. Minha ambição é restaurar o espírito da América e que os EUA voltem a ser respeitados em todo o mundo”, prometeu. A unidade deverá pautar o início do governo do democrata. “Nossos oponentes não são inimigos. São americanos”, declarou o presidente eleito. “Para aqueles que votaram no Trump, eu entendo a tristeza da derrota. Eu mesmo perdi muitas vezes. Trabalharei duro para aqueles que não votaram em mim.”

Biden também classificou a sua eleição como “um tempo de cura”. Em seguida, ele enfatizou a importância da ciência para o combate à pandemia do coronavírus. “Nosso trabalho começa com o controle da Covid”, disse Biden. Com as eleições, os EUA viram os casos de Covid-19 dispararem nos últimos dias. “Eu vou liderar um grupo de cientistas que vai trabalhar contra a Covid-19. Eles vão trabalhar a partir do dia 20 de janeiro.” O presidente classificou o processo até a sua eleição como uma batalha para a restaurar a decência e dar uma chance justa ao país. “Não podemos permitir que a economia nos tire a nossa vitalidade”, disse, ainda em referência a crise causada pelo coronavírus. Além da saúde, combate à pandemia e união, o presidente eleito também apresentou a sua família, citou um verso do livro Eclesiastes e exaltou as diversidades racial, sexual e política no país.