O resultado das eleições presidenciais dos Estados Unidos não deve sair tão cedo. Com o candidato democrata Joe Biden com 253 delegados contra 214 do republicano Donald Trump, o atual presidente começou a pedir a recontagem de votos em alguns estados e, na manhã desta sexta-feira, 6, o secretário de estado da Geórgia, Brad Raffensperger, anunciou que será feita uma nova contagem. Até as 19h, Biden liderava no estado com uma margem de apenas 4.000 votos. De acordo com a legislação da Geórgia, quando a diferença entre os candidatos é próxima ou menor do que 0,5 ponto percentual é possível pedir recontagem. Porém, essa recontagem deve começar apenas no dia 1º de dezembro para os votos de presidente e no dia 5 de janeiro para os votos do Senado. Com 16 delegados em disputa, a Geórgia virou um dos estados-chave dessa eleição, mas não pode declarar um vencedor sem que a recontagem seja completa. Isso significa que o presidente americano eleito em 2020 deve sair da apuração total dos votos nos cinco estados restantes: Pensilvânia (20 delegados), Nevada (6 delegados), Carolina do Norte (15 delegados), Arizona (11 delegados) e Alasca (3 delegados). Mesmo após quatro dias de apuração de votos nos Estados Unidos, a confirmação de um resultado definitivo — que pende desde a quarta-feira, 4, para a vitória de Joe Biden — ainda pode demorar, de dias a semanas. Isso acontece porque o país não tem um órgão eleitoral centralizado, e cada estado tem prazos diferentes para entregar os resultados das apurações.

Confira abaixo a previsão de término da apuração de cada estado, segundo agências de notícias internacionais, de acordo com os dados computados até as 22h de sexta-feira, 6:

  • Pensilvânia (96% dos votos apurados)*: o estado aceita até esta sexta-feira, 6, os votos que chegarem pelos correios, porém, o prazo final de contagem é 23 de novembro; Biden liderava por 2.000 pontos;
  • Carolina do Norte (98% dos votos apurados): o estado aceita votos pelo correio até o dia 12 de novembro; Trump liderava com margem de 70 mil votos;
  • Nevada (93% dos votos apurados): o estado aceita votos pelo correio até o dia 10 de novembro; Biden liderava com 22 mil votos;
  • Alasca (56% dos votos apurados): Trump liderava com folga com 30 pontos percentuais de vantagem e deve vencer no estado;
  • Arizona (97% dos votos apurados): Biden lidera por quase 30 mil votos e ainda restam 140 mil votos para serem apurados; resultado deve sair nos próximos dias.

Recontagem dos votos pode mudar os rumos da eleição?

A recontagem de votos é comum nos Estados Unidos, mas historicamente, não significa que o resultado será revertido. Na eleição para presidência de 2016, por exemplo, foram recontados os votos de Wisconsin entre Hilary Clinton e Donald Trump e a vantagem do republicano, que já estava a frente, subiu de 22.617 para 22.748. Na Geórgia em 2020, Biden lidera com 49,4% contra 49,3% de Trump.