Luis Arce tomou posso neste domingo, 8, como novo presidente da Bolívia para os próximos cinco anos, em cerimônia que contou com a presença de alguns líderes de países americanos e do Rei Felipe VI da Espanha. Anteriormente, Aymara David Choquehuanca foi empossado como vice-presidente, cargo que também inclui a presidência do Parlamento, onde o partido dos dois e do ex-presidente Evo Morales, o Movimento ao Socialismo (MAS), tem a maioria, embora não mais a de dois terços. Vestido com um terno escuro, com uma camisa clara e sem gravata, Arce prestou juramento com a mão direita sobre o coração, enquanto Choquehuanca jurou com o punho esquerdo levantado, o sinal que identifica o MAS.

O ex-ministro da economia de Evo Morales venceu as eleições gerais da Bolívia em 18 de outubro com 55,1% dos votos e tem mandato previsto até 2025, ano do bicentenário da independência do país vizinho. A posse de Arce marca o retorno ao poder do partido pouco mais de 12 meses após a crise política ter quebrado uma hegemonia de 14 anos de Morales como presidente. O evento contou com a presença de Felipe VI e dos presidentes de Argentina, Alberto Fernández; Colômbia, Iván Duque; e Paraguai, Mário Abdo Benítez, além de representantes de outros países das Américas, além da Europa e da Ásia. O Brasil não enviou representante. Nos arredores da Praça Murillo, onde estão localizados o Palácio do Governo e a sede do Legislativo boliviano, milhares de apoiadores do MAS que chegaram a La Paz provenientes de diferentes províncias e regiões nos últimos dias esperavam para testemunhar a posse de Arce e para desfilarem após a cerimônia oficial.

*Com agência EFE