O candidato a prefeito da cidade paulista de Macedônia, vereador Reginaldo Eloy Marcomini dos Reis (PSD), denunciou à polícia ter sido alvo de atentado a tiros, no final da noite desta sexta-feira, 13. Ao menos um disparo atingiu seu carro, estilhaçando os vidros laterais. O político nada sofreu. Reis contou à polícia que retornava para sua casa, na zona rural, quando ouviu estampidos e sentiu estilhaços caindo sobre seu corpo. Ele acelerou o veículo e só parou quando se sentiu em segurança, em uma área de pasto. Acionada, a Polícia Militar enviou uma viatura para o local. A Polícia Civil registrou o caso como de tentativa de homicídio. Esse foi o quinto ataque com armas de fogo contra candidatos paulistas durante a campanha para o primeiro turno das eleições. Os policiais constataram que um possível projétil entrou pelo vidro lateral e atravessou o veículo, saindo pelo outro lado. O candidato foi escoltado até sua casa. A Polícia Civil realizou perícia no carro e investiga o caso. O vereador disputa a prefeitura da cidade de 3,4 mil habitantes com o atual vice-prefeito, Dionísio Ferreira da Cruz, o Nico, do PTB.

Outros casos

Na madrugada da sexta-feira, a casa do vereador e candidato a prefeito pelo MDB, Rafael de Oliveira Dias, o Rafael da Hípica, foi atingida por disparos de arma de fogo, em Mairinque, região de Sorocaba. Os tiros atravessaram a vidraça da sala onde estava o candidato e atingiram a parede, mas ele não se feriu. No dia anterior, o carro da candidata do PSDB à prefeitura de São Vicente, Solange Freitas, foi atingida por vários tiros na cidade da Baixada Santista. Solange e o candidato a vice-prefeito Gil dos Santos, do mesmo partido, além de três assessores, estavam no veículo blindado, mas ninguém se feriu. No último dia 9, o candidato a vereador Ricardo de Moura, do PL, foi baleado quando participava de uma live, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Atingido por dois tiros, ele foi levado ao hospital, mas já teve alta. Na noite de 24 de outubro, o carro em que estava o candidato a prefeito de São José dos Campos, Anderson Senna, do PSL, foi atingido por cinco tiros. Ele nada sofreu. À polícia, ele disse que o atirador estava em uma moto. Conforme a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo, todos os casos são investigados.

* Com Estadão Conteúdo