O homem considerado número dois da rede terrorista Al-Qaeda, Abdullah Ahmed Abdullah, foi morto em agosto em Teerã, capital do Irã. A informação foi revelada pelo jornal “The New York Times”. Segundo fontes da inteligência americana, o terrorista foi morto em uma ação secreta realizada em conjunto por Israel e Estados Unidos. A filha dele, Miriam, viúva de um dos filhos de Osama bin Laden, também morreu na operação.

Abu Muhammad al-Masri, como ficou conhecido, era acusado de ter planejado ataques a embaixadas americanas na África, em 1998. Ele também estava na lista de mais procurados do FBI. Nesta sexta-feira, 13, o perfil dele ainda constava no site da polícia federal norte-americana, que chegou a oferecer uma recompensa de 10 milhões de dólares pela captura. Segundo o “The New York Times”, funcionários da inteligência americana dizem que al-Masri estava sob a custódia do Irã desde 2003, mas vivendo livremente em Teerã a partir de 2015.

*Com informações da repórter Letícia Santini