O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que “intrigas palacianas” geraram uma “incompreensão” no seu relacionamento com o presidente Jair Bolsonaro. O vice disse que assessores de Bolsonaro “distorcem fatos” sobre suas ações na vice-presidência. “Muitas vezes há incompreensão de parte de alguns assessores do próprio presidente que procuram distorcer fatos e levar uma outra realidade em relação às ações que eu tenho procurado realizar”, afirmou Mourão, que também afirmou que sua relação com o presidente é baseada na “lealdade e na disciplina intelectual”. As falas foram ditas em entrevista ao jornalista Paulo Roque.

Ao falar sobre seu trabalho, Mourão disse que Bolsonaro foi questionado se estava conseguindo governar o país, o que é considerado por Mourão como uma “difícil tarefa”. “Em muitos aspectos sim (consigo ajudar), outros muitas vezes há uma certa incompreensão, mas isso eu coloco sempre fruto das intrigas palacianas que são comuns em todo e qualquer governo”, disse o vice. Mourão também afirmou que o vice-presidente não é o “ator principal”, que funciona como força de acompanhamento. Por fim, Mourão disse que, apesar dos recentes atritos, está sendo “extremamente leal” às suas atividades e “extremamente coerente” na sua maneira de ajudar o presidente. “Há um ruído, a gente espera que passe e aí a gente acomoda as coisas, sem fazer daquilo um cavalo de batalha, sem transformar esse ruído em algo muito maior do que ele é, um mero ruído”, concluiu.

*Com informações do Estadão Conteúdo