Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 4, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e o governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, comunicaram novas medidas de combate à Covid-19. Entre os anúncios, está a ampliação dos leitos de enfermaria e UTI. De acordo com Castro, o estado deve abrir cerca de 400 leitos para tratar os casos de Covid-19. Já o município disponibilizará novos 170 leitos de enfermaria e 50 leitos de UTI, segundo Crivella. O prefeito também afirmou que, a partir da próxima semana, os tomógrafos do Rio (dispositivos usados para realizar exames de imagens) funcionarão 24 horas por dia, com o intuito de atender os pacientes diagnosticados com coronavírus.

Além das medidas relacionadas às unidades hospitalares, eles determinaram ações que estão gerando polêmica nas redes sociais. Em resposta ao aumento de casos da doença na cidade, Marcelo Crivella decretou o fechamento das escolas municipais. Segundo ele, a medida corresponde a um pedido do Ministério Público e do Comitê Científico, que havia realizado a sugestão na última quarta-feira, 2. Ao passo em que as unidades de ensino foram fechadas, os shoppings e centros comerciais tiveram seus períodos de funcionamento ampliados. Ainda na coletiva, o prefeito anunciou que os estabelecimentos poderão funcionar 24 horas por dia no final do ano, a fim de evitar aglomerações para as compras de Natal.

O último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro registrou 365.185 casos confirmados, 22.891 mortes por coronavírus e 366 óbitos em investigação no estado até quinta-feira, 3. Nas últimas 24 horas, o Rio contabilizou alta na média movel, com 3,7 mil novos casos de Covid-19 e 127 mortes em decorrência da pandemia.