O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, escolheu Lloyd Austin para liderar a Secretaria de Defesa. Isso deve fazer dele o primeiro homem negro a ocupar o cargo e, consequentemente, liderar o maior exército do mundo. Dos seus 67 anos de vida, o general dedicou 40 às Forças Armadas, ao longo dos quais participou dos conflitos no Iraque e no Afeganistão e foi diretor do Centcom, organismo que supervisiona as ações militares no Oriente Médio contra o Estado Islâmico. Ao deixar o exército em 2016, ele passou a trabalhar na indústria de armamentos e se tornou membro do conselho de administração da Raytheon Technologies, o que lhe rendeu algumas críticas. A informação foi confirmada pela imprensa norte-americana, incluindo o jornal The New York Times e a emissora de televisão CNN. No entanto, Lloyd Austin ainda precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional antes de assumir a chefia do Pentágono. A lei dos Estados Unidos determina que os militares que estejam fora de atividade por até sete anos devem passar por uma sabatina.

Nesta segunda-feira, 7, Joe Biden nomeou Xavier Becerra para liderar a Secretaria de Saúde, fazendo dele o primeiro latino-americano a ocupar o cargo. Antes disso, o democrata já havia escolhido outro latino-americano, Alejandro Mayorkas, para comandar o Departamento de Segurança Interna, e também a primeira mulher negra, Linda Thomas-Greenfield, a ter um assento no Conselho de Segurança Nacional. O presidente eleito também chamou atenção ao anunciar que o time de comunicação da Casa Branca será completamente formado por mulheres, algo inédito na história dos Estados Unidos.

*Com informações de agências internacionais