Nesta terça-feira, 8, o governo dos Estados Unidos anunciou a prorrogação do status de proteção temporária concedida a cidadãos de El Salvador, Honduras, Nicarágua, Haiti, Nepal e Sudão, cujo prazo terminaria no próximo mês. O programa concede permissões de trabalho e residência legal de forma temporária a 400 mil pessoas vindas de países que sofreram com desastres naturais ou conflitos armados – e, agora, foi estendido até outubro de 2021. A medida contraria o presidente Donald Trump, cuja ordem do fim do status de proteção foi suspensa por um tribunal da Califórnia.

No momento, os grupos amparados pelo programa mais numerosos são o de El Savador, com 250 mil pessoas, e o de Honduras, com 75 mil. Na últimas sexta-feira, 4, o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernandez, viajou para Washington especialmente para pedir a prorrogação do status de proteção dos seus cidadãos aos senadores e congressistas norte-americanos. O ministro de Relações Exteriores do país caribenho, Lisandro Rosales, justificou que a situação social e econômica foi duramente atingida não só pela pandemia de coronavírus como também pelos furacões Eta e Iota.

*Com informações da EFE