Nesta terça-feira, 8, o Ministério Público da França pediu que o ex-presidente Nicolas Sarkozy sofra uma pena de quatro anos de prisão por crimes de corrupção e tráfico de influência. Durante o julgamento, que aconteceu em Paris, a Justiça considerou que os delitos foram comprovados por conversas telefônicas interceptadas pela polícia entre o ex-chefe de governo e o advogado Thierry Herzog. O promotor Jean-Luc Blachon afirmou que Nicolas Sarkozy “manchou” o posto de presidente, que ocupou entre 2007 e 2012.

O advogado Thierry Herzog também recebeu uma pena de quatro de prisão, além do impedimento do exercício de sua profissão por cinco anos. Também foi julgado o ex-juiz Gilbert Azibert, que foi acusado de ter se corrompido em troca de ascensão na carreira. O Ministério Público da França considerou que o trio realizou um “pacto de corrupção”, em fevereiro de 2014. O juiz teria ajudado Sarkozy a obter informações sobre um caso, para depois receber um cargo no Conselho de Estado de Mônaco. O advogado, por sua vez, é amigo de ambos e foi considerado o responsável pela aliança.

*Com informações da EFE