Hunter Biden, o filho mais velho do virtual presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, revelou nesta quarta-feira, 09, que o escritório do procurador federal do estado de Delaware o está investigando por questões tributárias, aparentemente relacionadas com seus negócios na China. Alvo de duros ataques e acusações neste ano por parte da campanha à reeleição do atual presidente, Donald Trump, o primogênito de Biden fez o anúncio em um breve comunicado divulgado pela equipe de transição do presidente eleito. “Soube ontem pela primeira vez que o escritório do procurador federal de Delaware informou minha representação legal, também ontem, que está investigando meus assuntos fiscais”, disse Hunter Biden.

“Levo este assunto muito a sério, mas estou confiante que um exame profissional e objetivo destes assuntos mostrará que lidei com meus temas jurídica e adequadamente, inclusive com a ajuda de assessores fiscais profissionais”, acrescentou. Hunter Biden não deu detalhes sobre o assunto, mas a rede “CNN” disse que a investigação começou em 2018 e envolve os negócios do filho de Biden na China. Depois que seu pai deixou a vice-presidência dos EUA em 2017, Hunter negociou um contrato com o grupo de energia chinês CEFC China Energy para investir em produtos energéticos americanos, de acordo com documentos divulgados por líderes republicanos.

Uma das questões que os pesquisadores examinaram, segundo fontes internas citadas pela “CNN”, é o presente que o fundador daquele grupo de energia chinês, Ye Jianming, deu a Hunter em 2017: um diamante de 2,8 quilates (avaliado em cerca de US$ 80 mil) após uma reunião entre os dois em Miami. Em 2019, Hunter Biden explicou à revista “The New Yorker” que se sentia desconfortável em receber o diamante e, embora não acreditasse que fosse um suborno, ele o deu a alguns sócios. “Sabia que não era uma boa ideia guardá-lo”, defendeu na época. O acordo que Hunter Biden estava negociando com a empresa chinesa nunca se concretizou, e as autoridades do país asiático posteriormente prenderam Ye, em meio a acusações de corrupção.

Os investigadores avaliaram se o filho de Biden relatou corretamente seu recebimento do diamante em sua declaração de impostos, de acordo com a “CNN”, embora não esteja claro se essa questão continua sendo o foco da investigação. O filho de Biden tem sido um dos alvos políticos favoritos de Trump e sua equipe nos últimos anos, e o atual presidente chegou ao ponto de pedir à China, no final de 2019, que investigasse Hunter por seus negócios com Ye. Hunter Biden também esteve na origem do processo que poderia ter terminado em impeachment de Trump, que girava em torno da pressão política do presidente americano sobre a Ucrânia para investigar os negócios do filho de Biden no país, onde ele trabalhou para uma empresa local de gás natural, a Burisma, anos atrás.

*Com informações da EFE