A vacina desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com o laboratório alemão BioNTech é segura e protege contra o novo coronavírus, segundo o primeiro estudo de fase 3 divulgado nesta quinta-feira, 10, no New England Journal of Medicine. As informações já haviam sido anunciadas em novembro, mas só agora foram publicadas por uma das mais importantes revistas científicas do mundo, o que significa que os dados da pesquisa foram avaliados e passaram pela revisão de outros cientistas. Os testes, realizados com voluntários da Argentina, do Brasil, da África do Sul e dos Estados Unidos, indicam que o imunizante protege contra a Covid-19 com uma eficácia de 95% no público em geral e 94,7% nas pessoas com mais de 65 anos.

Dentre os 21.720 participantes do estudo que receberam a vacina contra a Covid-19, apenas oito testaram positivo para o novo coronavírus. O imunizante foi aplicado em duas doses, sendo que no intervalo entre a primeira e a segunda, a eficácia observada foi de 52%. Sete dias depois da última aplicação, a eficácia subia para 95%. Os resultados também mostram que não houve efeitos colaterais graves: 3,8% dos voluntários reportaram fadiga e 2% tiveram dor de cabeça. Na terça-feira, 8, a The Lancet publicou resultados da fase 3 da vacina que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford com a AstraZeneca.

*Com informações de agências internacionais