Depois de bater o menor valor em seis meses, o dólar opera em alta nesta sexta-feira, 11, com apreensão nos mercados globais de um Brexit sem acordo e o esfriamento nas negociações do pacote de estímulo fiscal pelo Congresso dos Estados Unidos. No cenário interno, investidores aguardam pela fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, durante a comissão mista de deputados e senadores para tratar das ações de combate à pandemia do novo coronavírus, prevista para 16 horas. Às 11h10, a moeda norte-americana avançava 0,94%, a R$ 5,085. A mínima chegou a bater R$ 5,039, enquanto a máxima não passou de R$ 5,088. Na terça, a divisa recuou 2,59%, a R$ 5,037. Este foi o valor mais baixo desde junho, quando fechou abaixo dos R$ 5. Acompanhando a cautela internacional, a Bolsa de Valores brasileira abriu o último pregão da semana em queda. O Ibovespa, principal índice da B3, operava a 0,83%, aos 114.173 pontos. Na quinta, os negócios fecharam com avanço de 1,88%, aos 115.128 pontos. Este foi o melhor registro desde 19 de fevereiro, quando o Ibovespa encerrou aos 116.517 pontos.

Após uma série de reuniões frustradas, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta sexta que há “forte possibilidade” de um divórcio com a União Europeia sem a formação de um acordo formal. Em tom mais pessimista que o visto nos últimos dias, o premiê alertou para que empresas da ilha britânica se prepararem para uma separação sem acordos comerciais. Autoridades do Reino Unido e do bloco europeu concordaram em estender as negociações em Bruxelas até este domingo, 13. O humor dos investidores também é impactado pelo esfriamento das negociações entre democratas e republicanos para a aprovação de uma pacote na casa dos US$ 900 bilhões para a economia norte-americana. Depois de uma série de avanços nos últimos dias e a iminência da aprovação pelos congressistas, novos impasses travaram as discussões. O pacote também abrange a extensão de auxílios para 9 milhões de norte-americanos sem emprego. No noticiário doméstico, os investidores aguardam pela participação de Paulo Guedes na comissão mista do Congresso para tratar dos efeitos do novo coronavírus e os reflexos das ações empregadas para mitigar os impactos da pandemia. A fala do ministro está prevista para as 16 horas.