A indústria eletroeletrônica conseguiu fechar o ano no azul. O faturamento cresceu 13% e sem o efeito inflacionário o setor atingiu uma alta de 1%. A produção caiu 2%, mas o home office impulsionou os computadores pessoais e seu houve queda nominal nos celulares, por outro lado aparelhos mais caros ganharam espaço também. O presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato considera que a recuperação em V, a partir de maio, salvou o ano desafiador.

“Dentro das possibilidades, foi até um ano positivo, considerando todas as dificuldades que nós tivemos. O setor foi muito atingido pela crise mesmo antes da pandemia chegar ao Brasil, uma vez que temos uma dependência externa de componestes, principalmente da China, onde começou a pandemia. Temos uma dependência significativa”, afirma. Prova da recuperação, o setor termina o ano com alta de 4% nos empregos sobre dezembro de 2019, com 243 mil postos de trabalho.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos