A vacina desenvolvida na Rússia contra a Covid-19, a Sputnik V, demonstrou uma eficácia de 91,4% na terceira fase dos estudos, segundo anunciaram os cientistas do Instituto Gamaleya nesta segunda-feira, 14. Dos participantes 17.032 participantes que foram imunizados após receberam duas doses da vacina, apenas 16 contraíram a doença, apesar de nenhum apresentar um caso grave. Além disso, nenhum efeito adverso foi identificado nessa última fase de testes. Os dados ainda não foram divulgados por nenhuma revista da área e, por isso, não foram verificados por outros cientistas. Ainda assim, o laboratório pretende elaborar um relatório para entrar com um pedido de registro emergencial em países estrangeiros que possuem contratos de compra da vacina, incluindo a Argentina. “Estes dados permitem afirmar com certeza que (a Sputnik V) é altamente eficaz e totalmente segura para a saúde”, destacou o diretor Alexandr Gintsburg.

A Rússia iniciou sua campanha de vacinação contra o novo coronavírus em Moscou no último dia 5, antes mesmo da terceira fase dos estudos estar concluída. Segundo o governo russo anunciou nesta segunda-feira, 14, mais de 200 mil pessoas já receberam as primeiras doses da Sputnik V dentro e fora de ensaios clínicos. A prioridade está sendo imunizar profissionais da saúde, professores e funcionários públicos que trabalham atendendo a sociedade. A longo prazo, o plano é imunizar cerca de 70% da população até novembro de 2021.

*Com informações de agências internacionais