O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convidou deputados de seu bloco para um almoço, nesta terça-feira, 15, na residência oficial da Casa. O encontro servirá para alinhar alguns detalhes sobre o plano de ação do grupo em relação à eleição de fevereiro de 2021, e a expectativa dos aliados de Maia é que o martelo seja batido ainda hoje. “Acredito que sai dessa reunião o nome do candidato do bloco. Preferimos atrasar alguns dias a definição para termos um nome que tivesse maior capacidade de agregar, por isso a reunião hoje com uma frente ampliada de partidos. Nossa estratégia é sair com uma projeção de bloco que contenha mais do que os 257 deputados necessários para vencer o pleito”, disse à Jovem Pan o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (DEM-PB). A reportagem também apurou que os nomes mais cotados são o do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), presidente nacional do MDB, e o líder da Maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Na quarta-feira, 9, líderes de seis partidos – DEM, PSL, MDB, PSDB, Cidadania e PV – anunciaram a formação de um bloco a partir de 2021. O grupo reúne 157 deputados. O anúncio ocorreu horas depois de o líder do PP na Câmara, Arthur Lira (PP-AL), expoente do Centrão, lançar oficialmente sua candidatura à presidência da Câmara. Candidato favorito do governo do presidente Jair Bolsonaro, Lira tem o apoio de, ao menos, oito partidos – PL, PP, PSD, Solidariedade, Avante, PROS, Patriota e PSC. Juntas, as siglas somam 160 deputados. Há, ainda, o PTB, partido de Roberto Jefferson, com 11 deputados, que deve se juntar ao deputado do PP.

A ampliação do bloco de Rodrigo Maia passa pela adesão dos partidos de oposição, que somam aproximadamente 130 deputados. Líderes dos partidos de esquerda afirmam que a tendência natural é ser contra a candidatura de Arthur Lira, dada a sua proximidade com o Palácio do Planalto. Integrantes do grupo do atual presidente da Câmara, no entanto, admitem que o parlamentar do PP terá alguns votos na esquerda. Como a Jovem Pan mostrou, em uma reunião virtual, na quarta-feira, 9, a bancada do PSB aprovou um indicativo de apoio a Lira – dos 31 deputados, 18 manifestaram apoio ao líder do Centrão. Na sexta-feira, 11, porém, o Diretório Nacional do partido decidiu, por unanimidade, não endossar o nome de Lira.