A porta-voz do governo dos Estados Unidos, Kayleigh McEnany, disse que o presidente Donald Trump só deverá ser vacinado depois que profissionais de saúde e pessoas de grupo de riscos já tenham recebido o imunizante. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 15, um dia depois do início da campanha de vacinação no país com a vacina desenvolvida pela Pfizer. Segundo a porta-voz, por ter sido diagnosticado com Covid-19 em outubro, Trump ainda apresenta anticorpos específicos contra a doença no corpo, o que faz com que ele não tenha urgência em receber a vacina. Entretanto, McEnany também afirmou que membros do governo irão receber a vacina para demonstrar a eficiência e segurança do imunizante para a população.

Durante o anuncio, a porta-voz também exaltou os esforços do governo e de Trump para disponibilizar a vacina para a população em “tempo recorde”. Além disso, McEnany evitou comentar o resultado das eleições. Na noite de ontem, 14, o colégio eleitoral dos EUA oficializou a vitória de Joe Biden na corrida pela Casa Branca. A porta-voz disse que o próprio presidente deverá fazer comentários sobre a oficialização da vitória de Biden, uma vez que “o resultado (da votação) está sob litígio”.

*Com informações do Estadão Conteúdo