O Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu na tarde desta terça-feira, 22, dois pedidos de habeas corpus em favor do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), preso na manhã de hoje em uma operação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra o ‘QG da Propina‘. Segundo o STJ, um dos pedidos foi protocolado pela equipe de defesa do político que é formada pelos advogados Ticiano Figueiredo, Pedro Ivo Velloso e Alberto Sampaio Júnior, da ‘Figueiredo e Velloso Advogados Associados’. A outra representação parte do advogado Paulo Roberto Cavalcante de Sá, de Pernambuco. Em contato com a Jovem Pan, o STJ disse não saber se Paulo faz parte da equipe de advogados de Crivella, já que qualquer pessoa pode entrar com um pedido de habeas corpus. A reportagem não conseguiu contato com a defesa do prefeito.

Além de Crivella, também foram presos na operação desta terça-feira, 22, o empresário Rafael Alves e o delegado Fernando Moraes. Foram emitidos, ainda, mandados de busca e apreensão e uma determinação judicial de sequestro de bens e valores. No total, 26 pessoas foram denunciadas. Para o Ministério Público, o prefeito Marcelo Crivella era o chefe da organização criminosa. De acordo com o MP-RJ, a investigação aponta que o grupo aliciava empresários para participar do esquema de corrupção voltados para arrecadação de vantagens indevidas mediante promessas de contrapartida feitas pelo prefeito. O esquema arrecadou cerca de R$ 50 milhões de reais em propina.