O partido Cidadania apresentou um pedido de suspensão de liminar ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, para derrubar a decisão do ministro Kassio Nunes Marques, que beneficiou candidatos ficha sujas eleitos nas eleições deste ano. A liminar suspendeu o trecho da Lei da Ficha Limpa, reduzindo o período de inelegibilidade de políticos condenados criminalmente e abrindo caminho para a posse de quem foi eleito no mês passado. Marlon Reis, advogado que assina a petição e um dos autores da Lei da Ficha Limpa indica a gravidade que a liberação dos fichas sujas pode acarretar.

“Só para ter uma ideia, é aqui que ficam os inelegíveis por terem cometido crimes como homicídios, genocídios, terrorismo, racismo, estupro, narcotráfico, desvios de verba pública. A sociedade fez nese dispositivo uma lista de crimes que consideramos absolutamente infamantes, impróprios para qualquer um que pretenda se colocar como representante do povo”, explica. A liminar de Nunes Marques avançou sobre um tema que já havia sido amplamente debatido pelo plenário do Supremo em 2012, durante julgamento sobre a Lei da Ficha Limpa este é o segundo recurso contra a decisão. A Procuradoria-Geral da República também entrou com pedido para derrubar a sentença.

*Com informações do repórter Daniel Lian