Rotulada como vilã do “BBB 10”, a influenciadora digital Tessalia Serighelli foi eliminada na terceira semana com um alto índice de rejeição – 78% dos votos em um paredão triplo – e precisou lidar com vários problemas psicológicos devido a esse pós-reality. A postura de jogadora assumida e o relacionamento na casa com Michel Turtchin foram os principais fatores que resultaram na eliminação da influencer. “Saí e tive que lidar com uma vida totalmente diferente da que eu levava, isso mexeu bastante com a minha cabeça. Hoje em dia estou medicada, está tudo bem, mas ainda tem coisas que me deixam ansiosa e sei que são gatilhos daquela época”, afirmou a ex-BBB em entrevista à Jovem Pan.

Tessalia deixou claro que o problema não foi ter participado do programa, que está prestes a chegar a sua 21ª edição, mas ter que encarar as consequências dele. “Ainda não se falava em cancelamento, mas eu fui cancelada. Saí como vilã, mas eu não vejo o que eu fiz dentro do programa como algo típico de uma vilã. Participei do programa em uma época em que era um crime falar abertamente que você estava lá para jogar. O povo queria que você falasse que estava lá porque Deus te enviou, tinha que fazer o papel de boa moça”, comentou a influencer, que citou que o ilusionista Pyong Lee, do “BBB 20”, não foi julgado por dizer que entrou no reality para jogar. “Há 10 anos, uma mulher dizer que era jogadora não era aceitável”, enfatizou.

O que também motivou o cancelamento da ex-BBB foi o envolvido com Michel, que entrou na casa deixando um relacionamento indefinido aqui fora. “Fiquei com uma cara que tinha uma namorada, que era quase uma noiva na verdade, e eu não sabia. Aqui fora, ela foi no ‘Fantástico’ falar que eu tinha acabado com a vida dela. O principal fator do meu índice de rejeição foi por conta disso. Imagina, no domingo, pouco antes de eu ir para o paredão, teve a reportagem no ‘Fantástico’ de uns 15 minutos falando que ele tinha pedido ela em casamento na Disney. Era como se eu tivesse roubado ele dela na visão do Brasil.” Após o reality, Tessalia e Michel chegaram a namorar por cinco meses.

A ex-BBB entrou no jogo a convite de Boninho, que segue como diretor do programa. Ele chegou até a influencer porque, na época, ela tinha um perfil no Twitter que fazia muito sucesso. Envolvida nas redes sociais, Tessalia já sabia como lidar com os haters da internet, mas quando saiu do “BBB” precisou lidar com a rejeição na vida real. “Fui xingada duas ou três vezes na rua, e por conta desses episódios, entrei na paranoia de sempre achar que estavam falando mal de mim quando eu via as pessoas cochichando. Achava que iam me bater, comecei a deixar de sair de casa por medo. Eu era DJ e, quando saia de casa para tocar, ficava com medo da rejeição do público e acabei desenvolvendo agorafobia, que é o medo de ficar em um lugar fechado sem saber onde tem uma porta saída próxima. Isso desencadeou crises de ansiedade, que desencadearam a síndrome do pânico”, revelou Tessalia, que, com remédios e terapia, conseguiu superar esses obstáculos com o passar dos anos.

Atualmente, ela mora Londres com o namorado, o jornalista britânico Simon Boazman, e está passando férias no Brasil. Depois que foi viver no exterior, a ex-BBB deixou de acompanhar os reality shows por conta do fuso horário, mas deixou claro que adora o formato e acompanha tudo o que está acontecendo pelas redes sociais. “Meu maior erro foi ter entrado 10 anos atrás (risos). Fico muito feliz em ver que o programa evoluiu, que este ano teve três mulheres na final e nenhum ‘boy lixo’. O brasileiro está parando de endeusar esses homens e a votação de um programa como o ‘BBB’ mostra isso porque é meio que um reflexo da nossa sociedade”, finalizou.