O prefeito Bruno Covas (PSDB) foi empossado nesta sexta-feira, 1º, em cerimônia na Câmara Municipal de São Paulo, para o novo mandato à frente da Prefeitura de São Paulo. A solenidade foi presidida pelo vereador Eduardo Suplicy (PT), parlamentar mais velho do legislativo paulistano. Em seu discurso, Covas citou a vice-presidente eleita dos Estados Unidos, Kamala Harris, e disse que política não é lugar para “intolerantes e nem para lacradores de redes sociais”. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), participou da cerimônia virtualmente. Os 55 vereadores eleitos também foram empossados.

“Política não é terreno para intolerância e lacradores de redes sociais. Política é a arte de fazer junto, de construir pontes para o futuro, de superar a divergência cega dos que acreditam que a solução virá dos extremos. Está provado que não. As urnas deram recado de moderação muito claro”, disse Covas. Em outro momento, o tucano citou um trecho do discurso de Kamala Harris, vice eleita na chapa de Joe Biden, que derrotou Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. “A democracia não está garantida. Ela é tão forte quanto a nossa vontade de lutar por ela, de protegê-la. E proteger a nossa democracia exige luta. Com essas palavras, Kamala Harris abriu seu discurso de vitória nas eleições americanas”, afirmou o prefeito de São Paulo.

Covas também pediu que a população redobre os cuidados em relação à pandemia do novo coronavírus até a chegada da vacina – Doria planeja iniciar a vacinação no estado de São Paulo no dia 25 de janeiro. “A maioria da nossa população vem tendo comportamento exemplar no enfrentamento da pandemia. Mas há uma minoria que insiste em colocar seus interesses e desejos em primeiro plano, ao invés de pensar no coletivo. Mas eu insisto mais uma vez: já há alguma luz no fim do horizonte. As vacina vão chegar. Nossa cidade está pronta para vacina em massa, mas ainda precisamos manter os cuidados. Vivemos uma crise sanitária que já resultou na morte de 190 mil brasileiros”, disse o tucano.

Bruno Covas foi reeleito em novembro do ano passado, vencendo o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos. O tucano, apoiador por uma coligação de onze partidos (PSDB, MDB, PP, Podemos, PSC, PL, Cidadania, DEM, PTC, PV e PROS) recebeu 59,38% dos votos válidos. O prefeito terá o apoio de, pelo menos, 25 dos 55 vereadores da Câmara Municipal.