Para 46,5% da população brasileira, em 2021, a política será “a mesma história de sempre”. É o que mostra um levantamento do instituto Paraná Pesquisas, realizado entre os dias 18 e 22 de dezembro, em 248 municípios, nos 26 estados e no Distrito Federal. Outros 33,6% acreditam que a política será melhor, enquanto 16,1% dizem que será pior – há, ainda, um estrato de 3,8% das pessoas que não sabem ou não opinaram. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Considerando o estrato das pessoas com 60 anos ou mais, há uma curiosidade: é nesta faixa etária em que há maior otimismo e pessimismo em relação aos rumos da política em 2021. Entre os idosos, 34,8% acreditam que o cenário será melhor, enquanto 18,2% dizem que será pior. Para efeito de comparação, entre os adolescentes (faixa entre 16 e 24 anos), 33,8% veem com otimismo a política neste ano e 12,9%, com pessimismo. A ideia de que não haverá nenhuma mudança prevalece entre quem tem 25 a 34 anos (51,5%).

No recorte por regiões, 35,5% dos moradores do Norte e Centro-Oeste acreditam que haverá melhora, seguidos por habitantes do Sudeste (35,4%), Sul (31,2%) e Nordeste (30,9%). No Sul, 19,9% dizem que a política estará pior. Este índice é de 16,8% no Nordeste, 15,1%, no Sudeste, e 14,5%, no Norte e no Centro-Oeste. No total, foram ouvidas 2.218 pessoas nas cinco regiões.