<span class="hidden">–</span>CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Na próxima quinta-feira (19/11), Convenção das Bruxas estreia nos cinemas brasileiros. A história, inspirada no livro do escritor Roald Dahl, conta a história de Bruno, que vai morar com a avó após seus pais morrerem em um trágico acidente de carro. O que o garoto não esperava na mudança é que fosse encontrar bruxas glamurosas e diabólicas que possuem um único plano: eliminar as crianças da Terra.

Anne Hathaway interpreta a Grande Rainha Bruxa na trama. E, como não podemos deixar de mencionar, a caracterização da sua personagem levantou polêmicas na Internet. A galera apontou que ela parece ter ectrodactilia, que é quando há ausência de dedos nas mãos ou pés. E, no filme, essa característica é representada como algo assustador na antagonista. Ou seja, isso foi encarado obviamente como problemático pelo público.

“Meu medo é que crianças vejam esse filme, sem saber de todos os exageros da história, e que essa deficiência comece a ser vista como aterrorizante. Isso atrapalha em começarmos conversas sobre o assunto e é um atraso no sentido do que estamos tentando alcançar, que é celebrar quem somos”, pontuou a atleta paraolímpica britânica Amy Marren, que foi uma das personalidades a apontar esse problema no enredo.

A atriz, por sua vez, chegou a comentar o assunto: “Não magoar os outros é o nível básico de decência que todos nós deveríamos almejar. Como alguém que acredita em inclusão e detesta crueldade, eu devo a todos desculpas pela dor que causei. Me desculpem. Eu não conectei deficiência de membros quando vi a caracterização da personagem. Se tivesse, posso assegurar vocês que nunca permitiria que isso fosse em frente“.

Na nossa entrevista, ela então comentou o motivo pelo qual aceitou o papel, que foi interpretado pela primeira vez por Anjelica Huston, em 1990. “Para justificar fazer de novo esse personagem, precisávamos de um motivo. E o motivo era que precisamos mostrar para as crianças que é importante enfrentar o mal, mas também dar risada disso. Rir da cara das pessoas maldosas, rir da cara de todos os bullies, rir da cara de quem se acha demais. Quando você ver alguém maldoso assim, não tenha medo. Porque, na verdade, eles estão sendo ridículos. Então, essa se tornou a razão pela qual eu quis fazer esse filme”, pontuou.

Hathaway aproveitou para falar como foi contracenar mais uma vez com Stanley Tucci, que interpreta o Mr. Stringer em Convenção das Bruxas. Os dois trabalharam no clássico O Diabo Veste Prada, em 2006. “Eu fiquei tão feliz quando descobri que Stanley estaria no filme. Ele é uma das minhas pessoas preferidas do mundo e foi tão divertido. E ele é ótimo para contracenar. Quando fizemos O Diabo Veste Prada, todo mundo admirou a performance dele como Nigel, era simplesmente incrível. Ele sempre fazia a gente gargalhar no meio das cenas. E, dessa vez, ele tirou tanto sarro do meu sotaque que, toda vez que eu precisava falar algo, ele começava a gargalhar. Eu fiquei muito feliz que, 14 anos depois, eu era a responsável pelas gargalhadas“, brincou.

Assista ao trailer da novidade:

 

Continua após a publicidade