Integrante da tropa de choque bolsonarista no Legislativo, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) será a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, a mais importante da Casa. A indicação, segundo apurou a Jovem Pan, faz parte de um acordo para “pacificar o PSL”, partido que está dividido desde o fim de 2019, quando o presidente Jair Bolsonaro anunciou sua saída da sigla.

Na tarde desta terça-feira, 2, foi definida a composição da Mesa Diretora da Câmara. Presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE) foi indicado para a 1ª Secretaria, quarto cargo mais importante da direção da Casa – na segunda, Bivar disputava o posto com o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), que lançou sua candidatura avulsa. Para contemplar a ala bolsonarista do partido, foi costurado um acordo responsável pela indicação de Bia Kicis à CCJ. Além disso, segundo integrantes da sigla, Vitor Hugo assumirá a liderança do partido em 2021.