O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 8, que um dos planos do governo para os próximos meses é levar o ministro Onyx Lorenzoni, coordenador da pasta da Cidadania do Brasil, para a Secretaria-Geral da presidência da república. Em entrevista transmitida ao vivo em um canal oficial do presidente, Bolsonaro afirmou que não negociou e nem pretende negociar cargos com o Centrão e citou o exemplo de Lorenzoni como único planejamento a longo prazo do governo federal. “Estão dizendo agora que eu vou dar um banco para o centrão. Não existe isso. Eu tenho um ministério vago, que atende aqui a Secretaria-geral, que a previsão é trazer o Onyx Lorenzoni para cá e botar outra pessoa no Ministério da Cidadania. É isso que está previsto no momento”, pontuou.

Apesar de anunciar a mudança, Bolsonaro não apontou quem deveria ocupar o cargo deixado pelo atual ministro e negou a realização de uma reforma ministerial nos próximos meses. Ele disse ter uma relação harmônica com os partidos do Centrão, reafirmou a necessidade de conversar com eles para conseguir aprovar projetos e garantiu que os políticos desses partidos têm noção da situação atual do país. “Não é hora de trocarmos ninguém aqui para atender interesse político”, finalizou. Deputado federal pelo DEM do Rio Grande do Sul, Lorenzoni foi nomeado como ministro da Casa Civil do governo Bolsonaro no momento em que ele assumiu a presidência da república, em 1º de janeiro de 2019. Ele foi realocado para a pasta da Cidadania em fevereiro de 2020, ficando no lugar do então ministro Osmar Terra.