A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que mortes por Covid-19 poderiam ter sido evitadas se houvesse mais solidariedade tanto por parte dos brasileiros, quanto dos governantes. Ela participou nesta segunda-feira, 08, no Dia Internacional da Mulher, do evento “Por mais igualdade”, promovido pela Academia Brasileira de Direito Constitucional. “Estamos todos de luto em uma sociedade em que a morte, em grande parte, poderia ter sido evitada. Os cuidados deveriam ter sido muito maiores exatamente por falta de solidariedade das pessoas entre si, dos governantes.”

A ministra disse ainda que “vivemos tempos de virulência e de muita intolerância”. “Sempre digo que o outro não é o céu, nem o inferno. Céu e inferno a gente acha dentro de cada um de nós, mas é preciso que a gente construa um espaço de paz social e de garantia de respeito aos direitos de todos de forma igual para todos”, disse. Carmém Lúcia afirmou, ainda, que considera “impressionante” o Brasil ainda ter “tantas formas de desigualdade” mesmo após mais de 30 anos de vigência da Constituição Federal. Ela enumerou as desigualdades não só contra as mulheres, mas também contra negros, pobres, homossexuais e pessoas com alguma deficiência.

*Com informações da repórter Nicole Fusco