O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, descartou apoiar qualquer iniciativa de impeachment do presidente Jair Bolsonaro neste momento. Em entrevista concedida na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, ele lembrou que a prerrogativa de aceitar ou não pedidos de impedimento é do presidente da Câmara dos Deputados. Mas pontuou que após ocorrer por duas vezes nos últimos 30 anos, o processo não seria benéfico para o país.

“Impeachment é algo muito sério, grave, abala as estruturas da República. Nós já tivemos dois episódios na história recente que foram tristes da história nacional. Seria uma instabilidade muito grande pensar nesse momento nesse sentido.” O presidente do Senado também listou outras prioridades que, para ele, estão à frente da discussão de um eventual impeachment de Jair Bolsonaro. “E, neste momento, que nós estamos no ápice de uma pandemia, com desemprego grande. Eu não me permito falar a respeito de impeachment nesse momento, até porque essa é uma atribuição da Câmara dos Deputados.”

Um dia após se reunir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, Rodrigo Pacheco voltou a pedir a aprovação de uma nova versão do auxílio emergencial. Ele ressaltou que, nesta etapa, o programa poderia ter uma focalização maior — com um valor diferente e um número menor de beneficiários. Os detalhes devem ser definidos pela equipe econômica do governo. Pacheco considera o auxílio indispensável enquanto a população não estiver vacinada em massa.

“Eu senti muita receptividade do ministro a ideia de que, com toda a responsabilidade fiscal e encontrando caminhos com fundamentos, nós possamos ter uma assistência social mais imediata nesse momento enquanto a vacina não é alargada para toda a população.” Rodrigo Pacheco ainda não anunciou se vai ou não autorizar a instalação de uma CPI no Senado para investigar a conduta do governo federal durante a pandemia da Covid-19. O pedido, entregue na última quinta-feira pelo senador Randolfe Rodrigues, responsabiliza o governo por situações como o colapso da saúde em Manaus. Rodrigo Pacheco indicou que deve analisar o requerimento nos próximos dias.

*Com informações do repórter Levy Guimarães