Poucas horas após a decisão do Supremo Tribunal Federal que anulou condenações da Lava Jato contra o ex-presidente Lula, a defesa do petista divulgou nota classificando a determinação da Corte como “histórica” diante de atos vistos por eles como injustos. “A incompetência da Justiça Federal de Curitiba é afirmada por nós, advogados do ex-presidente, desde a primeira manifestação escrita protocolada em Curitiba em 2016 e foi sustentada em todas as instâncias do poder Judiciário até chegar ao Supremo Tribunal Federal. Trata-se de mais uma decisão da Suprema Corte que restabelece a segurança judiciária e credibilidade do Sistema de Justiça do nosso país”, pontua documento, datado desta quinta-feira, 15.

Lula retomou oficialmente os direitos políticos após o STF manter a decisão monocrática do ministro Edson Fachin por 8 votos a favor e três contrários. Votaram pela anulação dos processos os ministros Fachin, Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso. Foram contrários os ministros Kássio Nunes Marques, Marco Aurélio Mello e Luiz Fux. Poucos minutos após a decisão, o presidente Jair Bolsonaro aproveitou transmissão ao vivo para comparar o Brasil com um filme de cowboys, no qual alguns torcem para o bandido.