Uma declaração do líder o governa Câmara dos Deputados está provocando reações do poder judiciário. Em debate promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo jornal Correio Braziliense, o deputado federal Ricardo Barros, fez críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF), afirmando que vai chegar um momento em que as determinações da Corte “simplesmente” não serão mais cumpridas. Barros disse ainda que a Justiça interfere com frequência nas decisões do governo federal. “Como manda fazer o Censo? Esse avançar nas prerrogativas do Legislativo e do Executivo, o Judiciário vai ter que se acomodar nisso, porque vai chegar a hora que simplesmente vão dizer ‘não vamos cumprir mais, você cuida do teu e nós cuidados do nosso’. Não dá mais para cumprir as decisões, porque elas não têm nenhum sentido, nenhum fundamental, nenhum senso prático e não são boas para o Brasil”, afirmou, dizendo ainda que é preciso “acabar” com o que chamou de classe de inimputáveis. “Se o promotor lhe ofender, não acontece nada. Então quando a Constituição diz ‘todos são iguais perante a lei’, nós precisamos fazer valer isso, porque essa classe de inimputáveis que fazem um ativismo político que prejudica a tantos e para eles é simplesmente um comentário no cafezinho do Fórum: ‘ó, você viu o que eu fiz?’”, disse. O presidente do Supremo, Luiz Fux, reagiu às falas do deputado e disse que “o respeito a decisões judiciais é pressuposto do Estado Democrático de Direito”.

*Com informações da repórter Camila Yunes