O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fará a leitura do requerimento de criação da CPI da Covid-19 na sessão desta terça-feira. Na sequência, caberá aos blocos partidários a indicação dos 11 titulares e dos 7 suplentes da comissão. A Jovem Pan apurou, junto aos senadores, quais são os nomes definidos pelos líderes da Casa. Os aliados do presidente Jair Bolsonaro monitoram de perto a formação do colegiado e trabalham para que o Palácio do Planalto possa ter a maioria necessária para ditar o ritmo dos trabalhos.

O bloco formado por MDB, Republicanos e PP deve indicar os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), Eduardo Braga (MDB-AM) e Ciro Nogueira (PP-PI). O bloco composto por PSDB, Podemos e PSL também terá direito a três indicações – o tucano Tasso Jereissati (CE) é um dos nomes confirmados. O líder do PSDB, Izalci Lucas (DF), ficará com a suplência. Na bancada do Podemos, o nome aventado é o do senador Eduardo Girão (CE), autor do pedido para que Estados e municípios sejam investigados. Segunda maior bancada da Casa, o PSD indicou os senadores Otto Alencar (BA) e Omar Azis (MA).

O bloco formado por PT e Pros será representado pelo senador Humberto Costa (PE) – a suplência ficará com o senador Rogério Carvalho (SE). O bloco formado por Rede, Cidadania, PDT e PSB indicou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento para a instalação da CPI. O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (SE), será o suplente do bloco. A última indicação ficará a cargo do bloco composto por DEM, PL e PSC, que sinaliza a escolha de um parlamentar governista.