O governador João Doria tem a estatura e senso de responsabilidade para liderar o processo de retomada do Brasil. A avaliação é do presidente do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) no Estado de São Paulo, Marco Vinholi. “O governador Doria representa os anseios do PSDB como um partido de oposição e de um projeto que pode retomar o país. É momento de gestão, de poder ter na presidência da República ações nesse sentido. O governador está focado na gestão do Estado de São Paulo, mas eu e a maior parte do PSDB pensa que o governador João Doria tem a estatura e a responsabilidade necessária para liderar o país nesse processo tão importante de retomada”, disse, reforçando que o governador “representa o futuro do PSDB”.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 10, o também secretário do Desenvolvimento Regional de São Paulo afirmou a posição do PSDB como oposição ao presidente Jair Bolsonaro, tema que tem trazido divergências entre membros da legenda. “O centro da questão nesse momento é o PSDB como um partido de oposição clara ao governo Bolsonaro. É o que toda militância do PSDB espera, o que os nossos quadros históricos pensam. Dessa forma, entende que o PSDB deve se posicionar cumprindo o seu papel que defende a democracia, as liberdades individuais, a ciência e a defesa da vida. É isso que pensa o governador Doria e todos do PSDB de São Paulo”, afirmou. A discussão sobre o posicionamento do partido acontece após parlamentares da legenda apoiarem Arthur Lira, candidato de Bolsonaro, para a presidência da Câmara. O debate levou, inclusive, à declaração do governador João Doria de que o deputado federal Aécio Neves deveria ser afastado da legenda. Segundo Doria, o partido tem um posicionamento claro “a favor da vida, em defesa da democracia, da saúde e do meio ambiente” e, por isso, deputados e senadores que defendem o oposto deveriam sair.

“Aqueles que tenham pensamento distinto que tenham dignidade e coragem e peçam pra sair. Se tiverem coragem que saiam. É a atitude que se espera de alguém com o mínimo de dignidade. É o que se espera de um parlamentar, que foi eleito pelo voto popular. Então respeite o voto e a democracia e saia”, disse. Em resposta, Neves disse que o governador quer ‘se apropriar’ do partido. Segundo o deputado mineiro, Doria age “por estratégia eleitoral” e criou “um conflito artificial dentro do PDSB para alimentar na imprensa projetos pessoais cada vez menos críveis”. No entanto, segundo Vinholi, a postura de oposição é uma necessidade para o futuro do país, não uma estratégia eleitoral. “É o momento de se pensar  não nas eleições de 2022, mas no futuro do nosso país. E esse futuro se faz como um oposição clara nesse momento”, afirmou.

O secretário falou ainda sobre a possibilidade da filiação de Rodrigo Maia ao PSDB, hipótese levantada após o deputado federal também demonstrar insatisfação pelo apoio de parlamentares do DEM à candidatura de Arthur Lira na Câmara. Segundo Marco Vinholi, o deputado é um “quadro importante no Congresso Nacional”. “[Maia] cumpriu papel como exemplar para democracia, tem um pensamento muito próximo ao nosso e se decidir sair do Democratas deixamos as portas abertas. Com todo respeito ao DEM, ele vai tomar a decisão dele e se definir pela saída estamos aqui sim, foi feito o convite, de portas abertas.”